Já são 13 mortes decorrentes do naufrágio do “Navio Anna Karoline 3” no Amapá.

São oito mulheres, incluindo três meninas com idades entre sete e 11 anos; e cinco homens. Os corpos encontrados no sábado (29) foram reconhecidos e estão sendo liberados para os familiares.

Os 10 sobreviventes resgatados nesse domingo (1) estão em processo de identificação e foram levados para o município de Gurupá, no Pará, cidade mais próxima do local do acidente.

Foto: Agência Pará/ Divulgação

O naufrágio ocorreu na madrugada do último sábado (29), na região do Rio Jari, sul do Amapá.

Até agora, foram resgatadas 46 pessoas com vida. Não há uma lista definitiva de passageiros, o que impede que a Defesa Civil tenha um número exato da tripulação.

A Marinha informou que equipes da Capitania dos Portos do Amapá e do Corpo de Bombeiros vão retomar as buscas nesta segunda-feira (2).

O comando do 4º Distrito Naval enviou para o local do acidente o Navio Hidroceanográfico Fluvial “Rio Xingu” para auxiliar as buscas, além de uma aeronave, mergulhadores, médicos, e enfermeiros do hospital Naval de Belém. Mais de 50 militares trabalham na operação.

O local do acidente só pode ser acessado por via aquática ou aérea e não há local para pouso de aeronaves, nem sinal de telefonia.

O Governo do Amapá montou um Centro de Informação e Acolhimento às famílias vítimas do naufrágio do Anna Karoline 3, no Grupamento do Corpo de Bombeiros do Município de Santana.

A Defesa Civil está convocando os familiares para que passem informações que ajudem na identificação das vítimas.

No domingo (2), as 23 famílias que foram atendidas no Centro de Informações relataram o desaparecimento de parentes que estavam na embarcação.

Além de integrantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Comunicação do estado, o centro conta com o trabalho de psicólogos, enfermeiros e assistentes sociais.

Um inquérito sobre o naufrágio já foi instaurado pela Marinha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentario.
Por favor digite seu nome aqui.