Os maiores clubes do Brasil decidiram dar férias coletivas aos jogadores entre 1 e 20 de abril. O prazo pode ser prorrogado ainda por mais dez dias, caso a pandemia do novo coronavírus (covid-19) ainda estiver em curva ascendente no país. Os dirigentes deixaram para depois a possibilidade de reduzir os salários dos atletas em 25%, proposta já rejeitada pelos
sindicatos. A medida foi adotada após reunião por videoconferência, na noite de ontem (26), entre dirigentes de 30 clubes.

Os representantes do clubes também concordaram em manter a fórmula de disputa das série A e B do Brasileirão. Desde 2003, estas competições de pontos corridos ocorrem em turno e returno.

A dúvida que ainda resta é como vão ficar os torneios estaduais dentro de um apertado calendário paralisado pela CBF desde o dia 16 de março.

No Rio de Janeiro, o recesso do Campeonato Carioca foi ampliado para 30 de abril. A nota oficial foi publicada no site da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) . A tentativa é concentrar esforços para evitar a disseminação da doença que, no último balanço do Ministério da Saúde (MS), já fez 9 vítimas fatais e atingiu 421 pessoas no estado fluminense.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentario.
Por favor digite seu nome aqui.