Meteorologia impacta agronegócio, turismo e prevenção de desastres


Cálculos matemáticos complexos combinados com imagens de satélites resultam em análises acerca da previsão do tempo e condições climáticas. Todos os dias, o meteorologistas se debruçam sobre as informações coletadas em todo o globo e processadas em supercomputadores e assim, comparam e geram pareceres sobre o tempo.

Para chegar a esses resultados que envolvem variáveis como precipitação, ventos, umidade relativa do ar, temperatura e pressão, os meteorologistas do mundo todo compartilham os dados coletados na região em que atuam e os transmitem aos Centros de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos. O brasileiro fica no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Já o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é responsável pelas trocas de informação na América do sul.

Ao todo, o Inmet administra 400 instituições pelo País. Os dados captados em superfície são enviados aos satélites em órbita e também radares. Segundo o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), hoje 600 meteorologistas atuam no País.

No dia 14 de outubro comemora-se o Dia Nacional do Meteorologista, data que marca a regulamentação da profissão em 1980. Esses profissionais que estudam os fenômenos da atmosfera terrestre. A carreira desses profissionais que estudam esses processos físico-químicos pode começar em uma das 13 universidades que ofertam a graduação em meteorologia no País.

Impactos

Não à toa, o Inmet faz parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. As pesquisas realizadas no órgão fornecem previsões acerca de estiagens ou chuvas excessivas. A antecipação dessas informações em até 3 meses auxilia os produtores rurais a preservarem as safras, além de planejarem o plantio e a colheita. No ano passado, o agronegócio respondeu por 23,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do País. A estimativa do Inmet é que metade desse montante foi gerado com o auxílio das informações fornecidas pelo instituto.

Por meio de pesquisas aplicada é que os meteorologistas identificam as relações entre as condições climáticas (chuva, ventos, temperatura, umidade, relevo) e agropecuária.

Também o setor de infraestrutura se vale desses dados para elaborar obras estruturais. Nesse sentido, esses profissionais ainda podem salvar vidas, já que produzem alertas de fenômenos meteorológicos (chuvas intensas e estiagens) que podem causar desastres naturais.

Além disso, o turismo também pode se valer das informações fornecidas pela meteorologia para planejar suas atividades. No dia a dia da população, a previsão do tempo divulgada em veículos de comunicação é uma das contribuições mais palpáveis desses profissionais.

Fonte: Governo federal, com informações do Ministério da AgriculturaInmetConfea e Inpe
Publicidade
Ultimas notícias