Produtos da agricultura familiar poderão chegar a mais pessoas em vulnerabilidade social


Mais entidades que atendem a população em vulnerabilidade social vão poder receber os produtos da agricultura familiar comprados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Publicada nesta quinta-feira (3) no Diário Oficial da Uniãoa resolução do Ministério do Desenvolvimento Social permite que instituições cadastradas nos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa também recebam os alimentos.

No ano passado, mais de R$ 357,5 milhões foram investidos na compra e distribuição de alimentos, leite e sementes por meio do PAA. Com a medida, mais brasileiros vão ter acesso a uma alimentação de qualidade — antes, o programa era voltado apenas a escolas, hospitais, restaurantes, cozinhas comunitárias e unidades da rede privada e pública da Assistência Social que tivessem cadastro nos conselhos municipais.

Além disso, a resolução determina que as unidades que distribuem os alimentos se cadastrem na Rede Brasileira de Bancos de Alimentos, coordenada pelo ministério, que acompanha a demanda em cada instituição e pode melhorar a gestão dos produtos. A rede é composta por  218 bancos, sendo 107 coordenados pelos governos estaduais e municipais.

“O PAA é um programa de fomento à agricultura familiar e também um programa de segurança alimentar. Ampliamos a quantidade de conselhos que podem cadastrar as entidades para que esses produtos cheguem a um maior número de famílias”, reforçou a diretora substituta do Departamento de Apoio à Aquisição e à Comercialização da Produção Familiar da pasta, Andressa Jordão.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Publicidade

Ultimas notícias