Conheça as histórias das taças da Copa do Mundo


Por Eurico Tavares

Inicialmente chamado de Taça Coupe du Monde, o troféu para o ganhador da Copa do Mundo passou a se chamar Taça Jules Rimet em 1º de julho de 1946, durante um congresso realizado em Luxemburgo. O nome foi dado em homenagem ao então presidente da FIFA e idealizador do torneio.

Quando pediu a confecção da taça, Jules Rimet criou um regulamento que dava a posse definitiva ao país que conquistasse a Copa por três vezes. Foram necessárias nove edições para que surgisse o vencedor. Brasil, Itália e Uruguai chegaram na Copa de 1970 com dois títulos cada um. Após derrotar o Uruguai nas semifinais por 3 a 1 e a Itália na final por 4 a 1, o Brasil ficou com a taça. Em 1983, o troféu foi roubado e, posteriormente, derretido.

A Taça FIFA, troféu que substituiu a Jules Rimet, foi disputada a partir de 1974 e é de posse transitória. Ao contrário da Jules Rimet, não há regras para a posse definitiva. Em 2038, poderá ocorrer a última disputa. Isso porque terminará o espaço para colocação das placas com os nomes dos países campeões.

Até o momento, já foram disputadas 11 edições. Dessas, a Alemanha ganhou três, a Itália venceu duas, a Argentina duas, o Brasil duas, a França uma e a Espanha uma. O Brasil possui uma coincidência envolvendo os dois troféus: a seleção brasileira só conseguiu ganhar o primeiro título de cada troféu na sexta edição. Em 1958 (depois da disputa das Copas de 30, 34, 38, 50 e 54) e em 1994 (após disputar as Copas de 74, 78, 82, 86 e 90).

Fonte: Portal EBC e Rádios EBC
Publicidade
Ultimas notícias