Érika Miranda conquista o bronze no Mundial de judô


A judoca brasiliense Érika Miranda (52 kg) faturou o bronze no Mundial de Judô, em Budapeste, nesta terça-feira (29). Foi a primeira medalha brasileira na competição. Ela venceu a kosovar, atual campeã olímpica e bicampeã mundial (2013 e 2014), Majlinda Kelmendi.

Assim, a atleta chega a sua terceira medalha de bronze consecutiva em Mundiais, após os pódios de 2014 e 2015. Érika também foi prata em 2013, perdendo justamente para Kelmendi na final.

Foto: Paulo Pinto/CBJ

“Eu estou muito feliz, apesar de ter sido um bronze. Eu tive um desgosto exatamente um ano atrás nos Jogos Olímpicos do Rio e me desacreditei bastante. Esse bronze é especial”, comemorou a meio-leve na saída do tatame, relembrando o amargo quinto lugar no Rio.

A brasileira estreou no Mundial com vitória por ippon sobre a australiana Tinka Easton e, na sequência, conseguiu outro ippon para passar pela polonesa Agata Perenc. Nas quartas de final, fez uma disputa equilibrada com a japonesa Natsumi Tsunoda, mas sofreu o ippon no golden score e seguiu para a repescagem, onde venceu a kosovar Distria Krasniqi por um waza-ari.

Na disputa pelo bronze, Érika foi mais agressiva desde os minutos iniciais, forçando uma punição a Kelmendi, antes de encaixar o golpe que lhe daria o waza-ari vencedor. Érika já havia vencido o último combate contra a kosovar, em 2015, na semifinal do Grand Slam de Abu Dhabi e, mais uma vez, foi superior à campeã olímpica.

Sarah Menezes e Charles Chibana também lutaram nesta manhã, mas não avançaram nas disputas por medalha. Sarah estreou com vitória por ippon sobre a alemã Nieke Nordmeyer, mas caiu nas oitavas, também por ippon, para a japonesa campeã mundial Ai Shishime, que terminou com o ouro da categoria. A prata ficou com Natsumi Tsunoda, também do Japão e algoz de Érika Miranda nas quartas de final.

Charles estreou com vitória por um waza-ari contra Azamat Mukanov, vice-campeão mundial no Rio, em 2013, mas parou na segunda rodada diante do francês Kilian Leblouche. No tempo normal, a luta terminou empatada com duas punições para cada e, no golden score, Chibana acabou punido pela terceira vez e se despediu mais cedo do Mundial.

Nesta quarta-feira (30), o Brasil terá Marcelo Contini (73 kg) e a campeã olímpica Rafaela Silva (57 kg) em ação em Budapeste.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Rede Nacional do Esporte.
Publicidade
Ultimas notícias